Daniel Murray

Tardes Musicais
Violão e Ponto recebe Daniel Murray

Tardes Musicais | Violão e Ponto recebe Daniel Murray

Sábado, 27/04/2019 das 16:30 às 18:00

gratuito

170 vagas por ordem de chegada

*Imagem: Samuel Vasconcelos

Considerado um dos mais talentosos violonistas de sua geração, Daniel Murray desenvolve ativa carreira como intérprete e compositor, apresentando-se como solista e camerista no Brasil e exterior.

O artista conquistou em 1997 o segundo prêmio no “Councours International de Guitarre de Trédrez-Locquémeau” na Bretanha – França, aos 15 anos de idade. Além do trabalho solo, Daniel Murray também participa do Trio Opus 12 (com Paulo Porto Alegre, e Christian Dozza), Quarteto Tau (com Breno Chaves, José Henrique Rosa Campos e Fábio Bartoloni), Duo Saraiva-Murray e Duo Holtz-Murray. Com a Orquestra de Israel, apresentou-se como solista com composições autorais de Villa-Lobos.

Concebido em 2012, os encontros desta Guitar Society são mensais e sempre contam com um ambiente descontraído e um bom bate-papo. O programa sempre começa com um Palco Aberto, espaço para os violonistas presentes tocarem, sem restrição de nível ou estilo, e logo depois o convidado fala sobre sua carreira e faz um pequeno recital/concerto.

O projeto busca promover o violão nas suas mais variadas formas de expressão, dando oportunidade para novos artistas, para os estudantes aperfeiçoarem seus estudos, incentivando a prática no instrumento, preservando a história do violão e trazendo grandes nomes ao clube.

Daniel Murray (1981)

Considerado um dos mais talentosos violonistas brasileiros de sua geração, Daniel Murray desenvolve ativa carreira como intérprete e compositor, apresentando-se no Brasil, America Latina e Europa desde 1998.

A conquista de seu primeiro prêmio, no “Concours International de Guitarre de Trédez-Locquémeau” – Bretanha – França, aos 14 anos de idade, marca o início de sua carreira. Sua discografia é composta por onze álbuns, cinco dos quais dedicados ao violão solo. Seu primeiro trabalho, gravado em 2008 – “Universos Sonoros para Violão e Tape”, foi realizado através do prêmio Petrobrás Cultural. Depois, seguiram-se “Tom Jobim para Violão Solo” e “Autoral”, ambos produzidos por Paulo Belinatti, “Universos em Expansão”, dedicado à música erudita contemporânea, além de trabalhos gravados como integrante do Duo Saraiva-Murray, Trio Opus 12, Quarteto Tau e Núcleo Hespérides.

Em 2011, realiza turnês internacionais, tocando em Londres (Saint Martin in the Fields, National Theatre, entre outros), Cambridge, Atenas, Paris, Saint Germain les Corbeil, Septveaux, além de participar da BIG (Bienal do Violão) em Chambéry/Lyon e do “MIDEM Festival” em Cannes. Também se apresentou como solista na “Porgy and Bess”, tradicional casa de shows em Viena, como o único brasileiro selecionado para integrar a programação da “Classical NEXT”, importante plataforma internacional para a música erudita. Na Dinamarca, apresentou-se no Royal Danish Conservatory of Music, além de ter realizado uma série de concertos didáticos através da LMS – Levende Musik i Skolen.

Em 2015, foi indicado ao “Prêmio Concerto” por sua atuação como solista. Em 2016, gravou, na Dinamarca, o álbum “Brazilian Landscapes”(OurRecordings/Naxus), ao lado de Michala Petri (flauta doce) e Marilyn Masur (percussão), conquistando o segundo lugar no Global Music Award. Também neste ano, sua composição “Canção e Dança” lhe rendeu o primeiro lugar no “Concurso Novas III”. Em 2017, fez seu débutcomo solista, interpretando o concerto de Heitor Villa-Lobos, além de sua composição “Camarecóica” junto à Israel Chamber Orquestra (ICO) sob a batuta de Doron Salomon, em Tel-Aviv. Em 2018, recebeu o prêmio de destaque no “FMCB – Festival de Música Contemporânea Brasileira” por sua performance em homenagem a Egberto Gismonti. Neste ano, ainda foi solista da Orquestra Sinfônica Nacional (OSN) em Brasília e da Camerata da Orquestra Experimental de Repertório (OER), além de realizar turnê na Alemanha, promovendo seu recente álbum solo, intitulado “14-37 – Brazilian music for solo guitar” (Acoustic Music Records), onde faz uma retrospectiva de sua carreira.

Violão e Ponto

Concebido em 2012, os encontros desta Guitar Society são mensais e sempre contam com um ambiente descontraído e um bom bate-papo. O programa sempre começa com um Palco Aberto, espaço para os violonistas presentes tocarem, sem restrição de nível ou estilo, e logo depois o convidado fala sobre sua carreira e faz um pequeno recital/concerto.

O projeto busca promover o violão nas suas mais variadas formas de expressão, dando oportunidade para novos artistas, para os estudantes aperfeiçoarem seus estudos, incentivando a prática no instrumento, preservando a história do violão e trazendo grandes nomes ao clube.

Repertório
  • Estudo nº4 – Heitor Villa-Lobos
  • Jongo – Paulo Bellinati
  • Tenebroso – Ernesto Nazareth
  • Canção e Dança – Daniel Murray
  • Infância – Egberto Gismonti
  • Pro Chico Improvisar – Daniel Murray
  • Graúnas – João pernambuco
  • Lapinha – Baden Powell e Paulo Cesar Pinheiro

Relacionados