Pregoeiros

#Tramas Culturais
O Canto dos Pregoeiros

→ Uma Cultura Sonora

#Tramas Culturais | O Canto dos Pregoeiros - Uma Cultura Sonora

José Geraldo Vinci de Moraes

Terça-feira, 1 de junho das 17h às 18h20

Gratuito ou Contribuição voluntária de qualquer valor

95 vagas por ordem de inscrição

Plataforma Zoom

Imagem: The Enraged Musician de William Hogarth_The Metropolitan Museum of Art_ Doado por: Harris Brisbane Dick Fund, 1932

Alinhada à temática institucional Outras Narrativas, a palestra “O Canto dos Pregoeiros – Uma Cultura Sonora” traz uma reflexão histórica que evidencia o caráter múltiplo da música para além de sua estrutura formal.

Nas sociedades de cultura oral, os sons e a música detinham papel central de mediação e comunicação social. Nas sociedades modernas urbanas do início do século XX, esses elementos continuaram a exercer a função de enviar uma série de recados de caráter sonoro e verbal variado e abrangente. De tradição milenar, os pregões estiveram no cotidiano urbano de determinados períodos, colaborando para compor a paisagem sonora ruidosa das cidades.

Essas práticas cotidianas e informais de produção do som de diversas maneiras serviram de referência para a produção musical urbana em determinados momentos. Com o tempo, essas práticas se transformaram e abriram espaço para novas relações com os sons e oralidade.

Quais elementos sonoros estão presentes hoje nas cidades? Quem são os sujeitos de comunicação que se apropriam da música e de sonoridades diversas no cotidiano? Essas e outras questões serão abordadas pelo professor José Geraldo Vinci de Moraes.

Esta atividade tem apoio cultural do Governo do Estado de São Paulo, por meio do ProAC ICMS da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, e patrocínio da Klabin S/A.

Público-alvo

Público geral, pesquisadores/as, musicistas, estudantes, professores/as.

José Geraldo Vinci de Moraes

Professor Livre-Docente no departamento de História da FFLCH-USP. Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado na Université Paris-Ouest Nanterre. Pesquisador PQ-2 CNPq. Coordenador do Grupo de Pesquisa Entre a memória e a história da música e membro do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Sobre Futebol e Modalidades Lúdicas (Ludens-USP). É autor de Sonoridades Paulistanas (Funarte, 1997), Metrópole em sinfonia (Estação Liberdade, 2000), Conversas com historiadores brasileiros (Ed. 34, 2002), Arranjos e timbres da música em São Paulo, In História da cidade de São Paulo (Paz e Terra, 2004), História e música no Brasil, (Alameda, 2010), Michel de Certeau: pensador das diferenças. (Vozes, 2011) e Criar o mundo do nada. A invenção de uma historiografia da música popular no Brasil (Intermeios, 2019).

Relacionados

Lançamento do Catálogo

Ecos do Modernismo

Ética e etiqueta