Duas Beiras

Tardes Musicais
Duas Beiras

→ Das barrancas do Rio São Francisco às margens do Rio Pinheiros

Tardes Musicais | Duas Beiras: das barrancas do Rio São Francisco às margens do Rio Pinheiros

Sábado, 03/08/19, às 16:30

gratuito

170 vagas por ordem de chegada

*Imagem: Tico Dias

O Programa Tardes Musicais traz a Cantoria apresentada por Anabel Andrés e Priscila Magella, De(s)água em Duas Beiras, onde compartilham composições e histórias das suas jornadas em contextos tão diversos à beira de dois rios com contextos histórico-geográficos muito emblemáticos, São Francisco e Pinheiros, que desembocam neste projeto musical iniciado em 2016 dedicado às suas águas com profunda sensibilidade. 

Anabel traz seu canto das frestas da Paulicéia que ressoa às margens do Rio Pinheiros, da paisagem urbana com seu caos e sua riqueza cultural múltipla, feita por pessoas de toda parte do Brasil e do mundo, e de suas andanças pela cultura de raiz com o grupo Vozes Bugras, do qual é uma das fundadoras, integrante e co-produtora. Priscila, canta a Música Barranqueira, movimento de valorização da cultura ribeirinha das Barrancas do Rio São Francisco na cidade de Pirapora e região Vale do São Francisco, norte de Minas Gerais, compartilhando o legado de Geraldo Magela, conhecido como o capitão Magela, Marku Ribas e outros ícones precursores do movimento, e compondo novas canções. 

No encontro traçam um percurso musical que nasce na poética engajada em prol dos rios e da preservação ambiental, fluindo pelos veios de uma ecologia afetiva, por referências da cultura barranqueira e da metropolitana na sua construção como mulheres, e deságua na interação de celebração com o público. O repertório autoral traz ritmos como xote, catira, boi, samba, blues e outros, revelando facetas da cultura à beira desses rios.

Duas Beiras vem sendo apresentado desde 2016 em eventos como Artistas em Vigília na Paulista com o MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens – em solidariedade às vítimas do crime da Vale em Brumadinho, Festival de Folclore de Jequitibá (MG), XX Maifest Festival Multicultural, espaços como Ponto de Luz (Joanópolis-SP), IJC Instituto Juca de Cultura, Armazém do Campo, Espaço 8 Arte e Cultura, Sarasvati Arte e Yoga, Osho Meditação Transformação e Arte, Yoga Sat, e outros do circuito. Um convite para navegar na poesia, no canto, na prosa, na música, como num rio que ora nos embala como um acalanto, ora nos tira o fôlego com águas impetuosas, ora diverte e faz rir no balanço da canoa, ora suscita reflexões a respeito do viver, e apenas é possível desvendar o que virá através da experiência do fluir em suas águas.

Sobre as artistas:

Anabel Andrés
Performer, musicista e compositora paulistana, fundadora, co-produtora e integrante do grupo musical Vozes Bugras com dois álbuns lançados. É membro da Orquestra do Corpo, de percussão corporal e vocal dirigida por Fernando Barba. Participou da Orquestra Orgânica de Stênio Mendes na ULM (2001-2004) e criou o Núcleo Orgânico Performático de música espontânea em 2004. Apresenta com o cantador pesquisador Eliezer Teixeira o programa Prosa e Cantoria pela web rádio www.casileoca.com Participou dos cds de Barbatuques, Daniela Lasalvia, Ully Costa, Katya Teixeira e Luiz Salgado, Eliezer Teixeira, Kaipira Urbano e Mac Donny’s & Bram Band. Lançou 3 singles autorais em 2018 e produz atualmente seu álbum solo “Além da expansão dos desertos”. www.anabelica.blogspot.com

Priscila Magella
Cantora e compositora Priscila Magella, nascida ás margens do Rio São Francisco compõe suas letras influenciada fortemente pela cultura ribeirinha. Atualmente integra o corpo discente da Escola de Arte Dramática EAD – USP. Lançou em 2012 seu álbum “A Barranqueira” e vem se apresentando em diversos eventos e espaços pelo Brasil. Em 2018 criou o grupo “Os Barranqueiros” com outros compositores e músicos também representantes do Vale do São Francisco, norte de Minas Gerais. Menina barranqueira de voz forte como um rio, e doce como as águas das nascentes, denuncia através de composições autorais as agruras que o rio sofre, incorporando novos sotaques, e convencendo de que precisamos cuidar inclusive dos rios que existem dentro de nós.

Músicos convidados

Alisson Amador
Violonista, percussionista e compositor. Trabalhou em diversas vertentes musicais como: música contemporânea, choro, improvisação livre, mpb, música orquestral e a música instrumental brasileira. Atualmente está gravando dois discos, um solo e outro com Caio Chiarini e a Contrabanda. Alisson também é pesquisador e mestrando pela UNESP, onde realiza trabalhos com seu orientador Carlos Stasi e desenvolve um trabalho junto ao grupo de percussão da Unesp, o PIAP. Apesar da ampla atuação deste jovem músico, seu trabalho principal está voltado a composição e ele possui atualmente mais de 300 obras para diversas formações e gêneros musicais.

Francisco Prandi
Cantor, compositor e instrumentista em violão, cuatro venezolano, guitarra, tres cubano e charango, tendo sido aluno de Fernando Reche – renomado charanguista boliviano. Integrou os grupos Canto Libre, Palimpsesto, participa atualmente do projeto EntreLatinos, de resgate do canto popular latino-americano. Apresentou-se no projeto Dandô – Circuito de Música Dércio Marques, nos Encontros Nacionais do Movimento de Atingidos por Barragens (2016, Mariana – MG) e (2017, Rio de Janeiro – RJ). Atuou também no Memorial da América Latina (SP) nos festivais da UNE – Chile (2011, 2012 e 2013) e Soy Latino (2016 e 2017) , e no Centro Cultural de São Paulo e o Espaço Parlapatões. Em 2014 e 2015 integrou a comissão organizadora do Festival de Música Latino-americana do ECLA (Espaço Cultural Latino-Americano, SP). Com a cantora e compositora Grazi Nervegna, apresentou-se no programa Sr. Brasil, dirigido por Rolando Boldrin.

Repertório

  • O Sal da Terra – Beto Guedes / Ronaldo Bastos
  • Quando não chover na terra – Priscila Magella
  • Menino barranqueiro – Geraldo Magela / Priscila Magella
  • Pisa na canoa – Priscila Magella
  • Lamento Velho Chico – Priscila Magella
  • Choro de Lama – Priscila Magella
  • Óia seu moço – Priscila Magella
  • Moda do Vô – D.P. trad. norte de MG rec. Mariano Barbosa Vieira
  • De São Paulo – Anabel Andrés
  • Rio Pinheiros – Anabel Andrés
  • Meu boi de Rio – Anabel Andrés
  • Medicinal (nós somos lama) – Anabel Andrés
  • Anjo em barro – Claudia Pucci Abrahão/ Anabel Andrés
  • Sexta extinção – Anabel Andrés
  • Toke na mitã – Jerá Guarani / Anabel Andrés
  • O medo e a cidade – Paulo Nunes / Alisson Antonio Amador
  • Pátria Livre – Francisco Prandi