Derrubada, escultura temporária, 2021, Clara Ianni, foto Vinicius P. Spricigo

Palestra
Reflexões para uma arqueologia das exposições com referência à Bienal de São Paulo

Palestra | Reflexões para uma arqueologia das exposições com referência à Bienal de São Paulo

Vinicius Spricigo

Sábado, 29 de outubro das 11h às 13h

Gratuito com sugestão de contribuição voluntária

95 vagas por ordem de inscrição

Plataforma Zoom

Imagem: Derrubada, escultura temporária, 2021, Clara Ianni, foto Vinicius P. Spricigo

Nesta palestra o professor Vinicius Spricigo nos apresentará seus estudos e pesquisas sobre como o impacto da exposição “Magiciens de la terre” que aconteceu em 1989, na França e as mudanças geopolíticas depois do fim da Guerra Fria, trouxe a globalização para o campo das exposições de arte contemporânea.

Algumas delas têm questionado os cânones da história da arte ocidental e se engajado num esforço para revelar a existência de “múltiplas modernidades”. A perspectiva da globalização que orientou a análise desse fenômeno tratou as representações nacionais como um modelo herdado das exposições universais do século XIX, algo superado pelas inúmeras bienais que surgiram ao redor do mundo a partir dos anos 1980. Nesse sentido, a Bienal de São Paulo foi vista por muitos como uma “prima tropical” da “Biennale di Venezia” e poucas edições da exposição foram estudadas.

Embora estudos recentes abordem importantes edições da Bienal de São Paulo, na narrativa que se construiu nas últimas décadas, no âmbito da história das exposições, teriam as representações nacionais recebido a devida atenção?

Público-alvo

Pesquisadores, Historiadores,  Público em Geral

Vinicius Spricigo

Vinicius Spricigo é professor adjunto do Depto de História da Arte da UNIFESP e membro do Grupo de Pesquisas ``Política e Crítica da Arte Contemporânea`` (CNPq). Suas pesquisas e estudos das exposições têm se concentrado nas megaexposições periódicas de arte contemporânea. Realizou pesquisa de pós-doutorado junto ao Centro Interdisciplinar de Semiótica da Cultura e da Mídia (CISC) da PUC/SP, no Interdisziplinäres Institut für Historische Anthropologie da Freie Universität Berlin (2012), no programa Art dans la Mondialisation do Institut National de Histoire de l'Art (2013) e no Research Centre for Transnational Art Identity and Nation da University of the Arts London (2019-2020). Doutor pela ECA-USP, como parte de seu doutorado foi pesquisador visitante no Royal College of Art (Londres, 2007) e no Projeto Global Art and the Museum (ZKM/Karlsruhe, 2009). Contribuiu, entre outros textos publicados, para os livros The Biennial Reader e German Art in São Paulo, ambos pela Hatje Cantz.

Relacionados

Lançamento do Catálogo

Ecos do Modernismo

Academia de Música da Osesp