Espaço em obra

Palestra
Espaço em obra: cidade, arte, arquitetura

Palestra | Espaço em obra: cidade, arte, arquitetura

Guilherme Wisnik

Sábado, 31/08/2019 das 11:00 às 13:00.

R$40,00

35 vagas por ordem de inscrição

*Imagem: Graffiti de Paulo Ito para o programa Backdropp Graffiti da Casa-museu Ema Klabin. Fotografia Thais Costa Leite

Vivemos em uma pós-cidade? De que maneira a arquitetura contemporânea promove o reencontro da urbanidade? Nesta palestra o professor abordará intrigadas questões que envolvem a arte e a arquitetura.

Porque o urbanismo morreu no momento histórico em que era mais necessário? Com esse diagnóstico provocativo, o arquiteto holandês Rem Koolhaas propõe uma reflexão sobre o estado atual da vida nas cidades, e procura reenervar o pensamento urbanístico. Os trabalhos imersivos de artistas plásticos em escala urbana também trazem à tona a discussão da questão da experiência no espaço público. “Não-lugares”, “cidades genéricas”, “espaços-lixo”, “cidades post-it”. A desertificação das cidades e do campo, atravessadas pelas estradas e pelo consumo, criam “paisagens transgênicas”, que se tornam, cada vez mais, o nosso habitat. Esse é, também, um dos grandes temas da fotografia contemporânea.

Público-Alvo

arquitetos, fotógrafos, artistas, estudantes, pesquisadores, educadores e interessados em geral

Guilherme Wisnik

Professor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Colunista do jornal Folha de S. Paulo (2006-07 e 2016), e autor de livros como Lucio Costa (Cosac Naify, 2001), Caetano Veloso (Publifolha, 2005), Estado crítico: à deriva nas cidades (Publifolha, 2009), Oscar Niemeyer (Folha de S. Paulo, 2013), Espaço em obra: cidade, arte, arquitetura (Edições Sesc SP, 2018, com Julio Mariutti) e Dentro do nevoeiro: arte, arquitetura e tecnologia contemporâneas (Ubu, 2018). Editou o volume 54 da revista espanhola 2G (2010) sobre a obra de Vilanova Artigas, e publicou ensaios em diversos livros e revistas, tais como Artforum, Architectural Design, Domus, Arquitectura Viva, AV Monografías, 2G, Rassegna, Arch +, Baumeister, JA – Jornal Arquitectos, Urban China, Plot e Monolito. É membro da APCA - Associação Paulista de Críticos de Arte. Foi curador do projeto de Arte Pública Margem (Itaú Cultural, 2008-10), das exposições Cildo Meireles: rio oir (Itaú Cultural, 2011), Paulo Mendes da Rocha: a natureza como projeto (Museu Vale, 2012), Pedra no céu: arte e a arquitetura de Paulo Mendes da Rocha (Museu Brasileiro da Escultura, 2017, com Cauê Alves), São Paulo: três ensaios visuais (Instituto Moreira Salles, 2017), Ocupação Paulo Mendes da Rocha (Itaú Cultural, 2018) e Infinito vão: 90 anos de arquitetura brasileira (Casa da Arquitectura de Portugal, 2018, com Fernando Serapião). Foi o Curador Geral da 10a Bienal de Arquitetura de São Paulo (Instituto de Arquitetos do Brasil, 2013). Recebeu o prêmio “Destaque 2018” da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) em 2019.

Relacionados

Lançamento do Catálogo

Ecos do Modernismo

Ética e etiqueta