Lançamento de livro
Dobra de Rio de Fabiana Vanz Dias

Lançamento de livro | Dobra de Rio, de Fabiana Vanz Dias

dom, 7 jul 2024
das 15h30 às 17h30

gratuito

*Imagem: Capa do livro Dobra de Rio, de Fabiana Vanz Dias

Este encontro marca o lançamento do romance “Dobra de Rio”, de Fabiana Vanz Dias, publicado pela Editora Caravana Editorial.

Em um bate-papo informal, os convidados Luiz Bras e Cristiana Gerab apresentarão o livro “Dobra de Rio”, colocando à escritora questões sobre literatura e psicanálise. A conversa incidirá nos temas centrais do livro: a construção do feminino, identidade e território, o divã e a clínica psicanalítica.

Confira o texto de Luiz Bras para as orelhas do romance “Dobra de Rio”:

É de encontros gasosos & desencontros fluidos que se trata esta impressionista prosapoesia-viagem. A escritura avança & recua na linha cronológica, costurando ziguezagues de memórias & fantasias, confirmando empiricamente que “a imaginação também é autobiográfica” {Aglaja Veteranyi}.

Este é um livro de errâncias subjetivas, do tipo sensorial & conceitual, que faz das mil volúpias & angústias, das alegrias & tristezas, das alegrias tristes e das tristezas alegres, enfim, das provocações-permutações, uma aventura existencial. Melhor dizendo, DOBRA DE RIO é uma festa para a nossa inteligência. Acompanhamos com grande satisfação as espirais mentais da narradora-protagonista, saboreando, como se fossem nossas, cada uma de suas digressões & reflexões sobre música, poesia, psicanálise, família, casamento, divórcio, amizade…

Ora em prosa, ora em versos, este livro é uma necessária mão estendida. Mais do que isso: são duas necessárias mãos estendidas. Segure-as firmes, queridos leitores. Não existiria a humanidade se nossas mãos preferissem seguir soltas, distantes, indiferentes… “Eu sempre precisei dar as mãos a alguém para me sentir segura. {…} Ter as mãos soltas me parecia sempre terrível, talvez por isso fumasse tanto. E eu sempre dei as mãos a fantasias diversas, minhas, dos outros…”

Estender as mãos imaginárias para as lembranças vivas também é uma forma de consolidar, no plano subjetivo, metafórico, a própria humanidade. Ação perigosa… Andar de mãos dadas com essa criatura cotidiana – nossa própria humanidade – equivale a compartilhar afetos com nossa comunidade íntima de crenças & desejos, às vezes amiga, às vezes inimiga.

É de tudo isso que se trata esta DOBRA DE RIO, que reverberou em mim, e reverberará também em muitos de vocês, com a força de uma DOBRA DELÍRIO.

Contribuições voluntárias

A Casa Museu Ema Klabin é uma fundação cultural sem fins lucrativos. Nossa política de gratuidade depende de patrocínios e doações.

Agradecemos caso possa apoiar a conservação e a programação da casa museu fazendo uma contribuição voluntária no dia do evento ou a qualquer momento com a chave pix/cnpj: 51204196000177.

Valores sugeridos: R$ 20, R$ 40, R$ 80 ou quanto desejar. Qualquer quantia é bem-vinda.

Fabiana Vanz Dias

É formada em Artes Visuais. Foi professora de francês e educadora em São Paulo. Publicou os livros de crônicas “Sobre a coragem do medo e outras loucuras sãs”; de poesias “Duração do eco”, “Desconsertos” e “Nem corvo nem rouxinol”. Estuda psicanálise e participou do Espaço de Estudo e Ensino de Lacan do Sedes Sapientiae.

Cristiana Kehdi Gerab

É psicanalista e mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP. Trabalhou no Hospital Dia e Equipe de Acompanhante Terapêutico do Instituto A Casa. Integra a Equipe Tempo - clínica e cuidado no envelhecimento e é membro do instituto Vox de Psicanálise.

Luiz Bras

É escritor e coordenador de oficinas literárias. Publicou os romances de ficção futurista “Distrito federal” e “Sozinho no deserto extremo”, entre outros. Coordena o Blog de Ficção Científica Brasileira, a coleção Futuro Infinito para a Editora Patuá e o ateliê Escrevendo o Futuro.

Relacionados