Adriana Lisboa

Encontro com Escritores
Adriana Lisboa

→ Outros Olhares | Mediado por Ana Demarchi Barel

Encontro com Escritores: Outros Olhares | mediado por Ana Demarchi Barel

Adriana Lisboa

Quarta-feira, 29 de junho, das 19h às 21h

Gratuito ou Contribuição voluntária de qualquer valor

150 vagas por ordem de inscrição

Plataforma Zoom

Foto de Graça Castanheira

Nesta sessão de Encontros com Escritores: Outros Olhares, Ana Beatriz Demarchi Barel recebe Adriana Lisboa, escritora e tradutora brasileira, com formação em música, premiada e traduzida em diversos idiomas.

No encontro, elas tratarão do processo de criação da escritora, de sua formação interdisciplinar, da riqueza das relações entre as artes e de fronteiras literárias, geográficas e humanas, tema candente do mundo contemporâneo.

O evento, que tem curadoria e mediação de Ana Beatriz, tem como objetivo estimular a leitura e proporcionar o contato do público com temas e obras relevantes que registram múltiplas perspectivas narrativas da nossa realidade.

Nestes encontros teremos a oportunidade única de ouvir escritores cujas obras revelam o aspecto mais importante de seus talentos: a riqueza inesgotável de sua criatividade e a complexidade de sua personalidade humana, desabrochadas no ser-escritor.

Neste momento em que privilegiamos a literatura, trabalho que exprime o grau máximo de elaboração da língua, poderemos estar na companhia de autores que criam mundos, inventam personagens, transformam sentimentos, os mais díspares, em palavra escrita, levando os leitores à experiência da empatia.

...Suas mãos em concha levam várias dúzias de sementinhas de cipreste. Também ela está rica, tão rica quanto a madrinha. A porta do quarto está entreaberta. A porta do quarto não costuma ficar entreaberta. Lá dentro alguma coisa se move, um monstro purulento de um olho só, que baba e grunhe e range suas mandíbulas horrendas. O monstro que devora infâncias. Será uma ilusão de óptica? A porta entreaberta revela uma cena que poderia ser belíssima: aquele volume pálido que a menina de nove anos de idade ainda não conhece em seu corpo. Um seio. Todo feito em curvas, sem nenhum ângulo mais agressivo, acompanhado por um ombro tão redondo, por um braço tão macio e por um pedaço de abdómen liso como papel. Ela olha, fascinada, enquanto uma mão masculina aproxima-se e alcança aquela anatomia tão delicada, enquanto os dedos rígidos apalpam a base do seio, e depois escorregam por aquele vale vertiginoso e alcançam o bico trêmulo que mantêm um instante entre o polegar e o indicador. Como se estivessem dando corda a um relógio de pulso. Ela vê. Depois, as sementinhas de ciprestes tombam-lhe das mãos em concha. Ela quer fechar os olhos para voltar o tempo. Naquele instante o sol começa a recolher sua luz mas a noite que se engendra é diferente de todas as outras: uma noite que já nasce morta. As sementinhas rolam pelo chão recém-encerado e uma lágrima de dor e de medo rola pelas faces túrgidas da menina que agora foge, ainda nas pontas dos pés. Não mais, porém, porque deseje treinar para bailarina. Agora ela quer evitar que a ouçam, não quer que saibam que sabe. As sementinhas de cipreste estão espalhadas pelo chão....

Sinfonia em branco - Adriana Lisboa

Encontro com Escritores

Encontro com Escritores tem como objetivo, além de estimular a leitura, proporcionar o contato com temas atuais através da literatura brasileira, que registra outros olhares e outras perspectivas narrativas sobre relações sociais no Brasil. O participante entrará em contato também com os processos de escrita e as obras desses autores de trajetórias tão distintas.

A programação é gratuita e acontecerá pela plataforma Zoom. Colabore para realizarmos mais atividades gratuitas, faça sua contribuição voluntária de qualquer valor!

Adriana Lisboa

Adriana Lisboa é romancista, poeta, contista e tradutora, é autora, entre outros livros, dos romances Sinfonia em branco (Prêmio José Saramago), Um beijo de colombina, Rakushisha, Azul Corvo, Hanói e Todos os Santos, de poemas Parte da Paisagem, Pequena Música, Deriva e O Vivo. Publicou também algumas obras para crianças, como Língua de Trapos e Contos Populares Japoneses, ambos premiados pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Seus livros foram traduzidos em mais de vinte países. O conjunto de sua obra foi agraciada com o Prêmio Moinho Santista. Bacharel em Música pela Unirio, mestre em literatura brasileira e doutora em literatura comparada pela UERJ. Foi pesquisadora visitante em Nichibunken (Kyoto) e na Universidade do Novo México. Foi escritora residente na Universidade da Califórnia Berkeley e na Universidade de Chicago.

Ana Beatriz Demarchi Barel

Ana Beatriz Demarchi Barel é doutora em Letras pela Université Paris III Sorbonne Nouvelle. Realizou Pós-Doutorado em História na Fundação Casa de Rui Barbosa, no IEB-USP e Residência em Pesquisa na Biblioteca Mindlin - USP. Leitora do Governo Francês na Université de Nantes e ATER das Universités d’Amiens e de Toulouse. Estudou História da Arte na Ecole du Musée du Louvre. Professora de Literaturas de Língua Portuguesa e Teoria Literária da Universidade Estadual de Goiás UEG. Membro do GRUPEBRAF – IEA – USP. Autora de Um Romantismo a Oeste: Modelo Francês, Identidade Nacional, organizadora da edição fac-símile da Revista Nitheroy e de Cultura e Poder entre o Império e a República (1822-1930). Desenvolve pesquisas na área de História Literária, Literaturas Brasileira e Comparada. Atualmente, estuda as relações entre relatos de viajantes franceses do século XIX e iconografia.

Relacionados

Lançamento do Catálogo

Ecos do Modernismo

Ética e etiqueta