Ferdinand Denis

O Brasil esquecido no olhar de grandes autores

→ Maxakalis, Guaranis, Tupis, Tupinambás

O Brasil esquecido no olhar de grandes autores: Maxakalis, Guaranis, Tupis, Tupinambás

Ana Beatriz Demarchi Barel

Sábado, 28 de março das 11h às 13h

R$ 40,00

35 vagas por ordem de inscrição

A fim de mitigar o risco de propagação do Coronavírus (Covid-19), a Casa-Museu Ema Klabin, por precaução, suspenderá todas as suas atividades a partir de 14 de março de 2020. Assim que a situação permitir, faremos o possível para retomarmos nosso funcionamento normal, e nosso público será informado pelas redes sociais. Em caso de dúvidas, pedimos que entrem em contato por e-mail.

Imagem: Desenhos copiados das clássicas obras dos viajantes e que serviram para ilustrar a obra “Brésil par Ferdinand Denis e Colombie et Guyanes par M.C. Famin – Arquivo da Biblioteca Nacional Digital – Ferdinand Denis – 1846.

Nesta palestra, será abordada a obra historiográfica e literária do viajante francês, Ferdinand Denis (1798-1890).

Ferdinand Denis esteve no Brasil entre 1816 e 1819, período conturbado do processo de independência de um país em busca de equilíbrios políticos e identitários.

Seu tema central é o indígena brasileiro, em particular, a tribo dos Maxakalis, e sua representação na obra de ficção de fundo histórico. Por contraste, a palestrante Ana Demarchi também analisará trechos de obras de outros autores indianistas, dentre eles, José de Alencar, Gonçalves Dias, José de Santa Rita Durão e Basílio da Gama.

Ferdinand Denis evoca em sua novela as relações históricas entre europeus e indígenas, destacando o processo colonial e sua retórica de conquista, em que os vencidos são os índios.

O texto de Ferdinand Denis destoa dos textos dos autores do Romantismo ao enfatizar a consciência dos nativos face à exploração dos brancos. Desta forma, a palestra tem o intuito de destacar as nuances entre o texto denisiano e as obras do Romantismo, que tinham como pressuposto apresentar o indígena como um herói nacional.

Público-alvo

Professores e alunos de Letras, História, Antropologia, História da Arte e Ciências Humanas, Documentaristas, Museólogos e interessados em geral.

Inscrição
Ana Beatriz Demarchi Barel

Doutora em Letras pela Université Paris III Sorbonne Nouvelle, realizou Pós-Doutorado em História na Fundação Casa de Rui Barbosa, no IEB-USP e Residência em Pesquisa na Biblioteca Mindlin - USP.
Leitora do Governo Francês na Université de Nantes e ATER das Universités d’Amiens e de Toulouse. Estudou História da Arte na Ecole du Musée du Louvre.
Professora de Literaturas de Língua Portuguesa e Teoria Literária da Universidade Estadual de Goiás. Membro do GRUPEBRAF – IEA – USP. Autora de Um Romantismo a Oeste: Modelo Francês, Identidade Nacional, organizadora da edição fac-símile da Revista Nitheroy e de Cultura e Poder entre o Império e a República (1822-1930).
Desenvolve pesquisas na área de História Literária, Literaturas Brasileira e Comparada. Atualmente, estuda as relações entre relatos de viajantes franceses do século XIX e iconografia.

Relacionados

#CasaMuseuConversas

#PartilhasPoéticas

Poéticas da restrição