As práticas museológicas no “novo normal”

As práticas museológicas no “novo normal”

Palestra | As práticas museológicas no “novo normal”

André Fabrício Silva

Quarta-feira, 14 de setembro, das 19h às 21h

Gratuito ou contribuição voluntária de qualquer valor

95 vagas por ordem de inscrição

Plataforma Zoom

Imagem: Registro da digitalização de obras da Coleção Ema Klabin. Foto: Fernanda Guimarães. Arquivo: Casa Museu Ema Klabin

Esta palestra tem como objetivo analisar os usos das tecnologias no ambiente digital pelos museus, bem como os seus desafios no contexto da pandemia e no pós-quarentena.

O objetivo é estabelecer uma análise de ações de alguns museus das cinco regiões brasileiras, considerando os processos museológicos de comunicação com o público, a mobilização de recursos tecnológicos, entre outros.

Abordaremos as discussões teóricas que envolvem a virtualidade, musealização e digitalização do objeto museológico, discutindo as dificuldades e potências atravessadas por essas instituições nestes últimos anos e suas ações para o futuro.

Público-alvo

Interessados em geral, profissionais e estudantes de museologia, história, artes e patrimônio

André Fabrício Silva

André Fabrício Silva é doutorando e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Graduado em História e Bacharel em Museologia pela Universidade Federal de Ouro Preto, coordenou o Programa de Educação Patrimonial da Prefeitura Municipal de Mariana/MG (2019-2022) e atua como museólogo, prestando serviços de pesquisa e levantamento de acervo físico e digital, catalogação de acervo, elaboração de material de pesquisa expográfica e Política de Acervos. Atualmente é professor colaborador na Universidade Estadual do Paraná, no curso de Bacharelado em Museologia, cujos estágios também coordena.

Relacionados

Lançamento do Catálogo

Ecos do Modernismo