Flora Rebollo

Hóspede | Flora Rebollo

Hóspede | Flora Rebollo

Ocupação no Instagram nos dias 28, 29 e 30 de setembro

@emaklabin

*Imagem: Flora Rebollo

A Fundação Ema Klabin dá continuidade a série Hóspede, com curadoria de Gilberto Mariotti.

A série Hóspede trata-se de um convite para que trabalhos de arte contemporânea sejam hospedados pela Fundação Ema Klabin e possam conviver proximamente com uma das obras de seu acervo, acompanhadas por um texto que propõe uma relação entre o trabalho hospedado e a obra anfitriã.

Esta edição ocorrerá em formato digital com a artista Flora Rebollo e o curador Gilberto Mariotti ocupando o instagram da Casa-museu durante os dias 28, 29 e 30 de setembro.

Será apresentada a obra “Ovo”, de 2017, exposto em relação com a obra de Tarsila do Amaral, “Rio de Janeiro”, de 1923.

Gilberto Mariotti

Artista e pesquisador. Doutor e Mestre em Poéticas Visuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e graduado em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado. Na Associação Cultural Fórum Permanente é curador associado e Editor da Publicação Digital Periódico Permanente. É Professor na Escola da Cidade de Arquitetura e Urbanismo na disciplina de Desenho.

Flora Rebollo

Formada em Artes Visuais pela Universidade de São Paulo com intercâmbio na École des Beaux Arts de Lyon. Entre 2015 e 2016 frequentou o Grupo de Estudo e Produção de Arte Contemporânea coordenado por Paulo Miyada e Pedro França. Em seu desenho, prática mais recorrente da artista, Flora emprega uma série de recursos gráficos que resultam em grandes composições intrigantes por sua profusão de cores elétricas e pantanosas. São superfícies onde fervilham formas que se reconstroem incessantemente. Em 2017, realizou exposição individual na Galeria Pilar, em São Paulo e participou do programa de residência “Pivô Pesquisa”. Em 2016, realizou sua primeira exposição individual no Centro Cultural São Paulo. Nos anos anteriores destacam-se as mostras coletivas “Coisas sem Nomes”, no Instituto Tomie Ohtake e a “XI Bienal do Recôncavo, onde ganhou o Grande Prêmio (residência artística em Milão, com a supervisão do crítico e curador Antonio d'Avossa) Em 2018 seu trabalho passou a integrar o acervo da Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Relacionados

#CasaMuseuConversas

#PartilhasPoéticas

Poéticas da restrição