Ateliê de estudos

Ateliê de Estudos poético-espaciais

Ateliê de Estudos poético-espaciais

Gabriela Leirias

Quartas-feiras das 15h às 18h
16 encontros
Maio: 23 e 30
Junho: 06, 13, 20 e 27
Julho: 18 e 25
Agosto: 01, 08, 15, 22, 29
Setembro: 05, 12 e 19

Valor total do curso: R$ 660,00 (parcelamento disponível na inscrição com juros simples cobrado pela Sympla)

25 vagas por ordem de inscrição

Imagem: Fotografia Gabriela Leirias, obra Yoko Ono – Mapa imagine paz (2003) – Exposição Tomie Ohtake (2017)

O Ateliê de Estudos poético-espaciais é um grupo para discussão, pesquisa e produção sobre cartografias e práticas artísticas contemporâneas que problematizam o espaço urbano.

Ao longo do Ateliê de Estudos será proposto aos participantes o acompanhamento de trabalhos práticos individuais e coletivos para experimentação de diferentes modos de documentação e linguagens, como cartografia, fotografia, vídeo, som, desenho, texto, performance.

Serão abordados projetos, obras, práticas artísticas, textos e experimentos poéticos de artistas, ativistas e teóricos cuja questão do espaço e do território mostra-se vital ao seu campo de atuação e reflexão.

Ao final, haverá o compartilhamento dos processos de criação com exibição pública dos projetos realizados.

Haverá uma pausa para férias que será nas quintas 04/07 e 11/07.

Convite aberto a interessados em desenvolver um projeto que envolva discussões sobre arte e espaço, estudantes, artistas, pesquisadores de áreas afins e pessoas com produção em andamento para acompanhamento do projeto.

Gabriela Leirias

Gabriela Leirias é mestre em Artes Visuais pela ECA/USP, especialista em História da Arte Moderna e Contemporânea pela EMBAP/PR e graduada em Geografia pela FFLCH/USP. Desenvolve projetos como pesquisadora, educadora e artista em arte contemporânea a partir de discussões sobre espaço, corporalidade, arte urbana, arte pública, cartografias, processos colaborativos e transdisciplinares. É gestora do Espaço Fixos e Fluxos de arte contemporânea e geografia. Foi premiada com a Bolsa Funarte de Reflexão Crítica em Mídias Digitais em 2011 com o projeto Novas Cartografias on Line. Desenvolve desde 2013 com Anahí Santos e Wellington Tibério o projeto de pesquisa, intervenção urbana e performance “Aqui passa um rio” que investiga poeticamente os rios invisíveis da cidade de São Paulo. Colaboradora na pesquisa e curadoria do projeto realizado em Curitiba “Jardinagem: territorialidade, temporalidade e ato político” coordenado por Faetusa Tezelli. Como desdobramento desenvolveu em São Paulo junto com Faetusa Tezelli o Projeto “Jardinalidades: jardinagem como prática artística e criação de territorialidades”. Realizou junto com o coletivo A’PRAÇA o projeto “Corpo político, corpo sensível – o fluxo das mulheres no espaço público e o direito à cidade”. Trabalha em diferentes contextos formativos e educacionais em espaços e projetos artísticos. Foi supervisora do método Abramovic na exposição Terra Comunal MAI Sesc Pompéia. Trabalhou na 31ª Bienal de São Paulo como supervisora do Educativo e na 32ª Bienal na equipe de difusão realizando laboratórios para professores e público em geral.

Relacionados